11 de junho de 2016

Prefeitura de São Paulo lança o 1º Programa de Residência para Startups de Mobilidade Urbana

Residencia-470x470

Serão selecionadas até dez startups para desenvolver projetos no espaço de coworking do MobiLab por três meses. Programa oferecerá mentorias, acesso aos dados de mobilidade do município, apoio técnico e certificação.

O Laboratório de Mobilidade Urbana (MobiLab) e a São Paulo Negócios (SP Negócios), por meio da política Tech Sampa, abrem a partir deste sábado (11) as inscrições para o programa Residência MobiLab. A ação selecionará até dez startups que desenvolvam ou queiram desenvolver soluções tecnológicas com potencial impacto positivo nos desafios relacionados à melhoria da mobilidade urbana da cidade de São Paulo.

As inscrições podem ser feitas pelo site do programa e vão até 19 de junho. O processo de seleção contará com duas etapas:na primeira, uma comissão Julgadora selecionará até 16startups finalistas para apresentarem seus projetos; na segunda etapa, a partir das apresentações, a comissão selecionará os residentes.

“Apesar dos avanços, algo que ainda está faltando são projetos de inovação intermodais, que consigam combinar a bicicleta com o transporte individual, a bicicleta com o transporte público ou ainda a caminhada. Os aplicativos se restringem a um único modal e a intermodalidade é boa para a cidade, mas também para a ferramenta e seus desenvolvedores. Outra carência está em meios que ampliem a participação da população no monitoramento e fiscalização dos serviços públicos de mobilidade. Esse é um tema quente e trazer inovação para ele é importante”, afirmou o diretor da SP Negócios e Coordenador do MobiLab, Ciro Biderman.

As startups selecionadas terão direito a utilizar o espaço de coworking do MobiLab por três meses para desenvolver seus projetos. Além disso, os grupos terão acesso a um programa de mentoria personalizado, a dados de mobilidade, apoio técnico e entrada livre em eventos. Para as startups que finalizarem o programa de forma satisfatória, será emitido um certificado de participação no programa. Não será concedido bolsa ou qualquer outro desembolso financeiro às startups residentes.

“As selecionadas estarão junto com diversas outras empresas de inovação em mesmo espaço, um laboratório por onde circulam técnicos de todo o mundo e tudo que de mais importante acontece na mobilidade urbana da cidade de São Paulo. Os residentes terão acessos a dados de mobilidade, sensores e semáforos tecnologicamente abertos. Quem quiser inovar nesse setor, estará no local ideal para isso”, disse Biderman.

MobiLab e a Tech Sampa
Aberto em 2014, o Laboratório de Mobilidade Urbana da cidade de São Paulo (MobiLab) busca o desenvolvimento de soluções para melhoria da gestão da mobilidade urbana e o fomento de iniciativas que contribuam com inovação, transparência e participação da sociedade civil.

A iniciativa faz parte da Tech Sampa, política municipal de estímulo à inovação, que busca fomentar o desenvolvimento do ecossistema de startups na cidade de São Paulo, onde se destacam ações como Vai Tec, Prêmio Mulheres Tech Sampa, LEIA, SP Stars – Programa de Mentoria, São Paulo Tech Week, Centro Digital – Distrito de Inovação e Programa de Internacionalização de Startups.

“Inovar é crucial para qualquer cidade atualmente. Existem cidades abertas para a inovação e as que não estão abertas para a inovação, por isso, existem casos de municípios de população de tamanho semelhante e mesma renda em que um inova mais e o outro menos. São Paulo está aberta para a inovação, porque sabe que a população tem a ganhar com isso”, afirmou o diretor da SP Negócios.

De Secretaria Executiva de Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *