EIXOS
Ativação do ecossistema de inovação

O eixo de ativação do ecossistema de inovação tem como objetivo mobilizar diversos atores com a finalidade de fomentar a interação e consequentemente, abrir espaço para a criação de soluções inovadoras para a cidade de São Paulo. Essa ideia surgiu da necessidade de aproveitar a extensa gama de recursos e conhecimento que a cidade de São Paulo detém em inovação. O eixo é dividido nesses três programas:

1. Programa de residência para seleção e hospedagem de empresas e organizações da sociedade civil inovadoras;

2. Encontros abertos e eventos para criar e manter uma comunidade de interessados em torno no laboratório;

3. Colaboração intersetorial, estabelecendo parcerias, acordos de cooperação e doações com a iniciativa privada e terceiro setor.

Trilhas de dados para inovação pública
  1. promoção de ações para identificar a demanda por abertura de dados e conectar os usuários aos publicadores;
  2. apoio a abertura de dados dos órgãos e entidades da Prefeitura de forma a integrá-los a processos de inovação;
  3.   apoio à implementação de rotinas de automação de relatórios e dados abertos, promovendo conexão com órgãos técnicos da Prefeitura.
Inovação aberta para cocriação de soluções

O eixo de inovação aberta e cocriação de soluções é o espaço em que o mobilab+ aproveita de diversas ferramentas para 

  1. desafios e concursos de ideias e projetos que respondam a problemas da cidade em colaboração com atores do ecossistema de inovação;
  2. prototipagem e testes de tecnologias com potencial para solução de problemas da cidade;
  3.   alavancagem de boas práticas identificadas na Prefeitura;

BREVE HISTÓRICO

    • Em junho de 2013 o Brasil foi notícia em todo o mundo por causa dos protestos que tomaram conta do país, e que foram inicialmente motivados pelo aumento das tarifas de ônibus na cidade de São Paulo. A Prefeitura de São Paulo respondeu prontamente aos protestos, através de várias ações, entre elas a abertura de dados do transporte coletivo, dando transparência à gestão do sistema de transportes por ônibus.
    • Como o volume de dados do sistema de transportes por ônibus é de mais de 30 milhões de registros por dia, fez-se imprescindível o uso de tecnologia da informação para a sua disponibilização à população. Assim, em setembro de 2013, logo antes da primeira Hackatona (maratona de programação) promovida pela SPTrans, foi disponibilizada por meio de uma api (application programming Interface) a localização geográfica, em tempo real, dos 15 mil ônibus da cidade, atualizada a cada 40 segundos. São Paulo foi uma das primeiras cidades no mundo a abrir os dados de localização dos ônibus.
    • Durante a Hackatona startups e desenvolvedores usaram estes e outros dados para desenvolver ferramentas inovadoras para os usuários do sistema de ônibus municipal. Logo após a Hackatona surgiram dezenas de aplicativos que fornecem informações em tempo real sobre o transporte e o trânsito, permitindo que o usuário finalmente conheça as condições de mobilidade na cidade. A segunda Hackatona foi organizada pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) em março de 2014, com a abertura de dados sobre o trânsito, com o mesmo mote de fomento à geração de ferramentas inovadoras para a população.
    • Com o sucesso destas experiências visualizou-se uma elevada qualidade nas soluções apresentadas, evidenciando a necessidade da administração pública de desenvolver soluções rápidas e eficientes para atender aos munícipes e à gestão interna. Assim surgiu o MobiLab, com a diretriz de integrar as políticas de trânsito e transporte e, principalmente, promover a transparência e análise dos dados produzidos pelos serviços, gerando novas soluções para uso da administração pública e para a sociedade, na melhoria da mobilidade urbana.
    • Agora, nessa nova fase, o mobilab+ busca alcançar novos desafios e aumentar seu escopo de atuação. Além das metodologias e programas já conhecidos, que fizeram do laborátorio uma grande referência em inovação no setor público a proposta é adotar novas ferramentas e abrir espaço para novos projetos. A trilha de dados, por exemplo, é um exemplo de como o mobilab+ deve buscar uma gestão municipal mais transparente e aberta.
Refrências e Publicações